Timão se interessa por Erick Pulga, do Ceará, e voltará a tentar Hernani, do Parma

Timão se interessa por Erick Pulga, do Ceará, e voltará a tentar Hernani, do Parma
Divulgação

Diretoria e comissão técnica do Corinthians veem necessidade de reforçar o elenco para o segundo semestre de 2024 e definiram prioridades para a janela de transferências que abrirá em julho. O ataque é uma das principais.

O Corinthians planeja contratar pelo menos um ponta e se interessa por Erick Pulga, do Ceará. O jogador tem 23 anos e contrato até o fim de 2025.

A diretoria corintiana fez uma consulta sobre as condições para ter o atacante e foi informada que ele custaria entre R$ 15 milhões e R$ 20 milhões. Ainda não houve formalização de proposta.

O interesse alvinegro em Erick Pulga foi noticiado inicialmente pelo jornalista André Hernan.

O atacante do Ceará é representado por Paulo Pitombeira, empresário que cuida da carreira de Lucas Veríssimo e foi criticado por dirigentes do Corinthians em janeiro, quando o zagueiro deixou o clube. Porém, a direção vem se reaproximando do agente, que tem valores a receber do Timão e optou por uma solução amigável em vez de executar a dívida na Justiça.

Pitombeira também é o agente de Róger Guedes. Em férias no Catar, o jogador planeja ir à Neo Química Arena na terça-feira para assistir a Corinthians x Racing-URU.

Prioridades

Além de um atacante, o Corinthians deseja contratar um meio-campista. O interesse já existia no começo do ano e cresceu com a lesão de Maycon e a possibilidade de saída de Paulinho, que segue sem acordo para renovação contratual.

O Timão está em contato com o meia Hernani, de 30 anos, do Parma, da Itália.

Sem sucesso no começo do ano, quando foi informado que o Parma não aceitaria liberar um titular em meio a disputa da Série B, o Corinthians fará uma nova investida.

Após gastar mais de R$ 130 milhões no começo do ano com contratações, o clube vai tirar o pé do acelerador e deve fazer poucos investimentos. O foco alvinegro está em oportunidades de mercado sem custo de direitos econômicos - ou seja, jogadores que estejam sem contrato ou que possam chegar por empréstimo.

As saídas de Matías Rojas e Cássio abriram espaço na folha salarial alvinegra, e o clube entende que atletas pouco aproveitados ainda podem ser negociados, o que daria mais fôlego financeiro na busca por reforços.

Informações ge